CRISTIANISMO DINÂMICO

12. EVANGELIZAR ATRAVÉS DA IGREJA LOCAL

Introdução

A evangelização pode assumir diferentes formas. Desde que Jesus ofereceu a água da vida à mulher samaritana no poço de Jacó (Jo 4) e desde que Felipe assentou-se ao lado do etíope em sua carruagem (At 8), o evangelismo pessoal tem sido impecável. Mas, a pregação para um grupo grande também tem sido, através dos tempos, visivelmente abençoada por Deus (At 14.14-18; 17.22-23). Todavia, pode-se dizer que a evangelização através da igreja local é o método mais normal, natural e produtivo, pois cada igreja está situada num contexto específico (1 Ts 1.5-8). Mas se a igreja local quiser levar a efeito o papel que lhe foi designado por Deus, ela precisa preencher alguns pré-requisitos:

1. Precisa organizar-se

Suas estruturas devem refletir a sua teologia, especialmente sua dupla identidade (a igreja é um povo que foi chamado do e enviado ao mundo). Um dos equívocos da igreja é ser estruturada apenas para a santidade e não para a missão. Precisamos reconhecer que as igrejas têm se transformado em igrejas de espera e não em igrejas de ir. Muito investimento para dentro e pouco para fora.

2. Precisa expressar-se

Não basta que a igreja local se organize, ela precisa também articular sua mensagem. Evangelizar no sentido mais simples e mais básico é compartilhar o evangelho, as boas novas às pessoas. É preciso perceber a riqueza de diversidade na formulação do evangelho que se encontra na Bíblia, sem nenhum prejuízo. Uma expressão apropriada com cada pessoa ou situação em particular. Caso contrário, a abordagem passa a ser considerada irrelevante.

3. Precisa personalizar-se

O que Deus espera da igreja é que ela seja a sua nova sociedade, a encarnação viva do evangelho, um sinal do reino de Deus, em palavra e ação. Todo educador sabe que é mais fácil uma pessoa aprender experimentando do que através do que vê ou ouve. As pessoas precisam ver com seus próprios olhos que o evangelho que anunciamos nos transformou. Se a nossa vida não for coerente com nossa pregação, a evangelização não terá credibilidade. Será mais uma religião para concorrer com um mercado saturado. (Jo 1.18; Jo 14.9; Cl 1.15; 1 Jo 4.12). É pela qualidade do nosso amor que Deus se faz visível hoje!

Conclusão

Nós não podemos proclamar o evangelho do amor de Deus com a mínima integridade se não o demonstrarmos aos outros. Nada prejudica tanto a causa de Cristo como uma igreja que é dividida por ciúme, rivalidade, difamação e malícia ou então, que viva concentrada entre seus próprios muros.